O cultivo da Espiritualidade na Promoção da Saúde

Estamos diante de um momento ao mesmo tempo indesejável e oportuno: a pandemia do COVID-19 e a Quarentena ocorrendo, simultaneamente, ao período da Quaresma. Observo, como médica psiquiatra, a importância de termos reduzido a nossa movimentação externa, para entrarmos em período de maior movimentação interna, em reflexão mais profunda sobre nossa vida e nossos valores.


Precisamos criar a atmosfera de silêncio e serenidade interior. Não há tristeza, nem há solidão. Há solitude e intenso trabalho íntimo. E isto é bom e necessário!


Ao mesmo tempo, tem sido essencial compartilharmos com nossos familiares os questionamentos sobre nossos hábitos diários, nosso tipo de consumo e as nossas motivações para conviver, aprender e aperfeiçoar nossas habilidades.


E, como parte fundamental destas reflexões, surge o tempo propício para a vivência religiosa, principalmente, por estarmos em época de preparação para a festa da Páscoa.


As festas cristãs, que ocorrem em épocas específicas do ano, detêm nos rituais, nos símbolos e na história essencial, a potencialidade da evolução humana.


Cada vez que uma pessoa se dispõe a participar das comemorações de determinada festa cristã, então, estará vivenciando os passos de seu auto-desenvolvimento.


Assim, os rituais e símbolos, usados na narrativa histórica em determinada festa religiosa, são a manifestação exterior, material, daqueles processos necessários e desejáveis que ocorram interiormente.

E, exatamente nesta Quarentena, nós vivenciamos na prática as provações materiais e emocionais do afastamento quanto ao mundo externo, e nos aprofundamos na Quaresma e suas reflexões.


A Quarentena apresenta o cenário real e as condições materiais, para podermos vivenciar os sacrifícios e privações da Quaresma.


E nesta sincronicidade entre estas duas dimensões, nós podemos sentir o imprescindível entrosamento entre a vida material e a vida espiritual! E precisamos reconhecer esta harmoniosa relação também na conformação do ser humano.


Assim, torna-se evidente a importância de se cultivar a espiritualidade. Esta ligação profunda entre corpo, alma e espírito na entidade humana revela-se na sensação de bem-estar e na promoção da saúde. Ou seja, nós nos sentimos bem, sadios e satisfeitos, quando nosso corpo físico, nossas emoções e nosso espírito estão integrados e harmonizados.


Esta tem sido uma época muito especial, porque toda a humanidade está irmanada, buscando a Verdade objetiva e material e a Verdade subjetiva, espiritual.


Nesta Quarentena, estamos, constantemente, refletindo sobre o valor da vida e sobre o risco da morte.

Portanto, a vivência da Quaresma e da Páscoa traz um convite intensamente enriquecedor. Somente a partir deste aprofundamento será possível celebrar a Vitória sobre a morte e a Ressurreição do Cristo no coração de cada um de nós, para que haja coerência entre as atitudes e o propósito de cada vida humana!


Dra. Ana Cristina C. Lemos Malheiros


Conheça a visão da Antroposofia quanto à Saúde e o sentido do adoecimento no esclarecimento da Dra. Ana Paula Cury, médica antroposófica:

https://www.facebook.com/ComPalestrasEWRS/videos/3013102752117656/