Buscar

Entendendo sobre uso de HIDROXICLOROQUINA em Covid-19

A melhor forma de se chegar à verdade é fazendo perguntas. Assim, vai-se percorrendo o caminho do conhecimento e consolidando a compreensão sobre determinado tema.

Há muitas perguntas sobre a prevenção e tratamento do COVID-19, e isso é compreensível.


Abaixo estão as respostas para algumas das perguntas que recebemos com mais frequência.

Para você, que busca informação qualificada e confiável, preparamos este material especial, exatamente para trazer segurança em suas decisões sobre cuidados com a saúde.


Por que a indicação de uso de Hidroxicloroquina para COVID-19?


A Hidroxicloroquina/cloroquina não é eficaz quando usada muito tarde com altas dosagens por um longo período, a eficácia melhora com o uso precoce e a dosagem ajustada. O tratamento precoce mostra consistentemente efeitos positivos.

A HCQ/CQ foi adotada para tratamento precoce em todo território ou em parte de 35 países (incluindo organizações médicas não governamentais).


No Brasil, para os pacientes de COVID-19, foi preciso definir estratégia de tratamento, conforme campanha “NÃO ESPERE” ( em substituição ao “FIQUE EM CASA”) e publicação do protocolo do Ministério da Saúde em Nota Informativa nº 17/2020 (https://www.gov.br/saude/pt-br/centrais-de-conteudo/publicacoes/estudos-e-notas-informativas/2020/old-file-removed-covid-05mar2021-11h37.pdf/view). Esta nota, publicada em 30/07/2020, indica uso de medicamentos reposicionados, acessíveis, eficazes e de baixo custo. Com mais de 90 justificativas para o tratamento imediato, dentre estas cita o artigo publicado pela Escola de Saúde Pública de Yale (New Haven, Connecticut - EUA).


Os pesquisadores avaliaram 300.000 doentes infectados, através de 5 estudos, incluindo 2 ensaios clínicos controlados, demonstrando eficácia significativa no tratamento ambulatorial com uso de hidroxicloroquina.


Em 27/11/2020, segundo declaração do Dr. Hélio Angotti Neto, Secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde: "Hoje, diante das evidências que temos, é que esse tratamento é benéfico, ele diminui hospitalização pelas evidências existentes e com bom grau de segurança, ele diminui a chance de alguém morrer.


Não é uma cura definitiva, mas ele diminui a chance de a pessoa morrer. Isso precisa ficar bem claro. Todas as evidências de tratamento precoce, na dose certa, mostram isso, então isso tem que ser muito bem esclarecido.”


O secretário também enfatizou que, "por uma questão de justiça e de equidade, o governo disponibiliza para pacientes do SUS o mesmo remédio prescrito por médicos particulares para pacientes de plano de saúde. E já entregou quase seis milhões de comprimidos de cloroquina e 300 mil de hidroxicloroquina para estados e municípios que fizeram pedidos.”


A Hidroxicloroquina é uma medicação eficaz para Covid-19? É segura?


Diante dos ótimos resultados do tratamento precoce, conforme entrevista dada por equipe do Ministério da Saúde, foi usada a capilaridade e estratégia SUS (Sistema Único de Saúde) para torná-lo acessível a todo cidadão brasileiro.

Ministério da Saúde divulga informações sobre o combate à Covid-19 (27/11/2020).


Coletiva de imprensa equipe do Ministério da Saúde em 27/11/2020.


Marcamos os pontos principais para facilitar seu acesso:

Em 46:00 min, Élcio Franco, secretário executivo do Ministério da Saúde, mostra gráfico que evidencia a eficácia do tratamento precoce por redução da letalidade durante as semanas epidemiológicas.


Em 1:21:00 Élcio Franco fala sobre tratamento precoce

Dr. Hélio Angotti Neto, secretário de Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos em Saúde 1:01:00 fala sobre o tratamento precoce com evidência 1A, de alta qualificação em pesquisas científicas.


Em 1:24:37, fala sobre não recomendação de lockdown e isolamento social.


Em 1:27:00, fala sobre diagnóstico clínico de Covid-19 e iniciar tratamento precoce com benefício e segurança positivos: princípio da beneficência, da não maleficência, com justiça e equidade e autonomia médica. “Temos condições de ofertar, de facilitar o acesso ao tratamento precoce a toda população. Então, isto (tratamento precoce) salva vidas. Não podemos perder vidas de forma desnecessária”.


Estudos Recentes:


1)“Um estudo ambulatorial com delineamento transversal, realizado por pesquisadores da Arábia Saudita e publicado em outubro/2020 no periódico de alto índice de impacto (12,074) International Journal of Infectious Diseases, testou a segurança do tratamento com hidroxicloroquina contra COVID-19.


Acompanhando um grupo de 2733 pacientes com sintomas leves a moderados de COVID-19 a partir de junho de 2020, os autores concluíram que o uso ambulatorial da hidroxicloroquina é seguro, altamente tolerável e apresenta efeitos adversos mínimos.


Além disso, não houve nenhuma morte ou internação em UTI entre os pacientes tratados no estudo”. (Hydroxychloroquine Safety Outcome within Approved Therapeutic Protocol for COVID-19 Outpatients in Saudi Arabia).



2) Hidroxicloroquina para profilaxia da COVID–19 atingiu o mais alto nível de evidência científica: uma revisão sistemática com meta análise revisada por pares, ou seja, a qualidade da pesquisa foi atestada por outros cientistas.


Estudo de Harvard comprova eficácia da hidroxicloroquina em profilaxia pré-exposição: pessoas designadas para o uso de hidroxicloroquina tiveram 28% menos risco de Covid-19.


(Systematic review and meta-analysis of randomized trials of hydroxychloroquine for the prevention of COVID-19)


“O estudo foi publicado na conceituada Revista Europeia de Epidemiologia, um periódico científico de alto impacto (12.434). Entre os cinco autores, dois são da Universidade de Harvard, uma das mais bem conceituadas do mundo. Um deles é o cientista Xabier Garcia-De-Albeniz, líder do estudo e pesquisador Associado do Departamento de Epidemiologia da Universidade.


Outro é o Dr Miguel Hernan, Membro do Corpo Docente em epidemiologia e bioestatística da Harvard-MIT Division of Health Sciences & Technology, além de ser diretor do CAUSALab, uma entidade de Harvard que visa orientar políticas públicas”.


3) Trabalho publicado em 14/09/2022 na revista Nature mostra como a hidroxicloroquina bloqueia a entrada do SARS-CoV-2 na via endocítica da cultura de células de mamíferos. Estes dados confirmam vários ensaios clínicos e o uso eficaz da hidroxicloroquina em profilaxia e terapia. (Hydroxychloroquine blocks SARS-CoV-2 entry into the endocytic pathway in mammalian cell culture).


Agora, você, certamente, está mais consciente e pode-se posicionar e ter liberdade de escolha sobre cuidados em saúde.

Lembre-se: Informação é poder. Perguntas salvam vidas.



Posts recentes

Ver tudo