As necessidades do ser criança*

“Lugar de semente é na sementeira.” Como são marcantes as vivências que nos alimentam a alma! Mesmo após o crescimento dos meus filhos, ainda me recordo desta frase, que foi determinante para criarmos um Jardim Waldorf para eles e outras crianças de famílias amigas.

Estávamos iniciando o plantio de “sementes de gente” e o jardim Waldorf foi o canteiro ideal.

As lembranças desta época confirmam a importância de se conhecer quais são as necessidades da criança em suas fases evolutivas. Faço uma comparação com o agricultor, pois precisa conhecer o modo de cultivo específico daquela planta, a fim de fornecer os elementos adequados para que haja o crescimento sadio e uma boa colheita.


Dessa forma, considerando o ser humano dotado de corpo, alma e espírito, quais são as necessidades da criança nestes três âmbitos?


A primeira sementeira é o útero materno; a criança, como ser espiritual, irá encarnar no corpo físico, materializado na concepção. O homem e a mulher, em estado de amor, são receptáculos do dom da vida. Ofertam então, o material genético que carrega todas as características hereditárias determinantes da “semente”. A partir desta união entre a matéria e o espírito, o milagre da vida se expande grandiosamente.


Durante os nove meses subsequentes, muitas mudanças físicas e emocionais irão ocorrer, tanto para o crescimento do bebê, quanto para a formação do pai e da mãe. É importante manter as condições adequadas, como ambiente e nutrição, além da relação afetuosa e companheira do casal.

Ao final da gestação, ocorre o parto e novo ciclo se inicia, agora no seio da família, que representa a segunda sementeira. Naquele lar, alegria e esperança irradiam calor humano que aquece como o sol. E a criança cresce e se fortalece, conquista habilidades, adquire hábitos, brinca sem parar, observa e fantasia.


Sua fonte de energia parece inesgotável. A criança é um pesquisador que interage com a natureza com curiosidade insaciável, fazendo suas experiências, fontes de aprendizado diário. 

Apreende as leis da natureza, sua grande mestra, por seu próprio esforço e contemplação, aprendendo assim, a amá-la. 

Ao movimentar-se livremente no quintal, experimenta progressivamente sua potência, equilíbrio, força e agilidade, tomando posse de seu corpo.

Seu maior instrumento é a imitação, com a qual passa a integrar o mundo conforme vê os adultos fazerem. 


Por isso, diante de uma criança cabe sempre a pergunta: 

“Sou um exemplo digno de ser imitado?”

A criança anseia por uma perspectiva de vida em que o mundo é bom, em que a Confiança nos adultos que a cercam geram o Desejo de crescer e a Coragem de ser “gente grande” no futuro.

Para cuidar do desenvolvimento saudável das crianças, precisamos vivenciar as qualidades solares. A Devoção, Admiração e Gratidão que transmitirmos criam a atmosfera anímica propícia e o terreno do Amor para que o ser criança, por imitação, floresça e frutifique plenamente.


Dra. Ana Cristina C. L. Malheiros


Links recomendados:


- Indico o livro “Consultório Pediátrico”, Editora Antroposófica, Dra. Michaela Glöcker.*


- Olhar Weleda sobre a família | Episódio 1:

https://youtu.be/Rq-Q_WNt3Cs

- Como trazer saúde e esperança para nossas crianças | Dra. Karin Michael, Dra. Michaela Glöeker e Dra. Sheila Grande:

https://www.youtube.com/watch?v=2bGDcP2kI3c